Pessoal se mudando para o apartamento aqui do lado hoje cedo. Diminuo o passo ao me aproximar da pilha de caixas que eles – dois homens e uma moça – amontoaram na entrada do elevador e é impossível não escutar a conversa.
“Como posso ajuda-los? Posso carregar alguma coisa?” a moça perguntou.
“Imagine! Só de estar aqui, você está ajudando,” um deles respondeu.
“Mas eu não estou carregando nada!”
O homem sorriu, desajeitado. A caixa que ele segurava parecia pesada.
“Se bem que estou pagando essa mudança com o meu trabalho, então a principal ajuda é a minha!” ela disse e veio vindo para perto do elevador. Não sei se a escutaram. Tomara que não.

Assim: ninguém aqui é mais feminista do que eu. Eu me orgulho muito dos avanços das mulheres nas últimas décadas e ~ai~ de você se tentar tirar um direito que seja de mim, mas ao ouvi-la dizer em voz alta que era ela quem pagava o salário deles, eu tive certeza de que se eu fosse homem, eu jamais ia querer fazer sexo com a moça. Que pecado, meu Deus, a pessoa nascer mulher e não ser elegante. Você consegue imaginar a Julie London dizendo uma coisa dessas?

Eu teria amado fazer sexo com a Julie London.